Pensamentos aleatórios de uma noiva nostálgica

ELISABRENNERnoivado, Sobre mim2 Comments

Já fazem quase quatro meses que casamos em Cancun e eu nunca tinha parado para escrever sobre. A verdade é que eu acho um pouco doloroso lembrar sobre esse dia. Doloroso porque foi tudo tão lindo, tão planejado, tão sonhado.. e que passou tão rápido, que só de pensar em lembrar já me dá muita saudade.

Eu escrevi esse post, publicado originalmente no Brasileiras Pelo Mundo, contando um pouco sobre o casamento, mas gostaria de escrever um pouco mais sobre o assunto, já que quase todo dia eu recebo mensagens de noivas curiosas e ansiosas que também sonham em casar na praia.

Se eu pudesse dar só um conselho seria: case-se na praia, no campo, na fazenda… faça o casamento dos seus sonhos. Fuja do padrão, do véu e grinalda, do padre carrancudo e de todas aquelas tradições chatas e buffets de 15 pratos diferentes e esquisitos. Simplicidade está moda.

Eu nunca quis fazer festa de casamento, primeiro porque acho um desperdício de dinheiro, segundo porque odeio o fato de ser obrigada a convidar gente que mal conheço. A ideia do casamento na praia caiu como uma luva para os nossos planos.

Primeiro porque só o deslocamento e a vigem internacional já requer tanto esforço que somente aqueles que realmente são próximos e muito queridos se dispuseram a ir; salvo as exceções daqueles que não puderam ir por motivos maiores… o que eu quero dizer é que um casamento na praia é praticamente penetra-free. Nada daqueles parentes sem noção querendo convidar até o papagaio no seu grande dia.

Segundo porque não tem que preocupar com muita coisa, decoração para que, quando se tem um pôr do sol e um oceano ao fundo? Sapatos e paetê também não combinam nada com o ambiente. Nem maquiagem forte, muito menos extravagancias alimentares.

No nosso casamento, ficamos 5 dias no resort. Dois dias inteiros antes da festa e dois dias depois. O que foi mais do que o suficiente para aproveitar a presença dos convidados. Almoçar juntos, tomar sol, bater papo.

O dia da festa foi bastante corrido, eu não tive dia de princesa. Passei a manhã na praia, depois do almoço fui tomar banho e desci para o salão do hotel, onde fiz cabelo e maquiagem com um profissional do próprio hotel. Confesso que eu nem me lembro do nome da maquiadora. Penteado e maquiagem prontas, subi para o quarto da minha mãe para trocar de roupa.

Encontrei uma bagunça de maquiagem, chapinha e roupas pelo chão. E foi assim que me arrumei para o meu casamento. Em família, num quarto de hotel bagunçado. Também não tive fotografo, somente a minha avó e seu celular foram responsáveis por registar esse momento.

Depois da cerimônia e antes do jantar, eu e o Bruno havíamos preparado uma surpresa para os convidados, uma dança. Mais uma vez, nada tradicional. Um mashup de 4 músicas que ensaiamos por 3 semanas, sem aula, sem professor, sem técnica, sem nada. Ficou no mínimo engraçado.

A festa acabou as 9 pm. No caminho de volta para o nosso quarto, fomos parados pelo menos dez vezes por outros hóspedes do hotel. Pessoas estranhas nos aplaudiram, parabenizaram e até nos abraçaram. Conseguimos chegar no quarto por volta de 11pm. Sim… um casal de noivos pode chamar muita atenção. Achei bem fofo o carinho mas também muito cansativo.

Uma dica que dou em nome de todas as noivas, nos deixe em paz hahahaha se você está em um hotel e acabou de acontecer um casamento, se você não conhece o casal e não foi convidado para a festa, por favor, não tente puxar assunto. Os noivos estão muito cansados e querem um tempo de paz e sossego. Por favor, não encha tanto o saco.

Acordamos no outro dia ainda meio anestesiados. Tudo pareceu um sonho meio distante. Acabou mesmo? Por quê passou tão rápido? Como faz para voltar?

Compartilhe!
0
YOU MAY ALSO LIKE...

2 Comments on “Pensamentos aleatórios de uma noiva nostálgica”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *